Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons by-sa 3.0. Rua_Juventude Anticapitalista, exceto quando proveniente de outras fontes ou onde especificado o contrário. 

Mais cortes da Pátria Educadora #FicaPIBID

3.7.2015

 

Na sexta-feira do dia 19 deste mês, o coordenador geral de Programas de Valorização do Magistério da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Hélder Silveira, enviou um e-mail sobre o possível corte de 50% nas bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) para os professores coordenadores dos projetos. Segundo o e-mail encaminhado, o corte pode chegar a 75% a 90% das bolsas e ainda pede que os professores coordenadores dos projetos não abram mais editais e processos de seleção por conta dos cortes nas verbas da educação. A Capes já tinha informado por e-mail aos professores, que estes revisassem seus projetos e racionalizassem os recursos, com a argumentação de que vivemos “um ajuste fiscal”. Ajuste que afeta apenas um lado, a educação, a juventude e os trabalhadores!

 

Sabemos que as universidades do âmbito federal estão sofrendo com cortes na assistência estudantil, restaurantes universitários que estão sem comida e a questão dos terceirizados e técnicos, trabalhadores que exigem seus direitos frente às medidas atuais do governo federal.

 

Os cortes agora estão impactando diretamente na formação dos alunos com a diminuição e até extinção de bolsas que permitem que o estudante possa agregar mais conhecimentos em sua formação, garantindo também sua permanência dentro da universidade. O caso do PIBID recai diretamente na formação de professores. Sabemos que isto deve ser prioridade de uma Pátria que se intitula como Educadora, uma vez que é indispensável que os futuros professores tenham uma boa formação no que diz respeito à prática e teoria, concepções pedagógicas e atuação dentro de sala de aula. O PIBID consegue cumprir com estes aspectos e deveria ser ampliado, nunca restringido e/ou precarizado. Hoje o programa atende noventa mil futuros docentes que além do fator formação, necessitam da bolsa para permanência.

 

 

 

Diante disso, os estudantes estão se mobilizando para que este quadro de cortes nas bolsas do PIBID não ocorra e para que a Capes divulgue informações mais detalhadas sobre. É necessário que nos engajemos nessa luta, pois lutar pelo PIBID é lutar para que uma educação de qualidade nas escolas públicas seja alcançada. O programa tem um grande dimensionamento e, através dos projetos, impacta não somente no meio acadêmico e estudantes bolsistas, mas nas escolas e suas respectivas comunidades. Por isso, é necessário entender a formação de professores como princípio básico de um ensino com qualidade. Um governo que se propõe como Pátria Educadora não pode cortar da educação, da assistência estudantil, bolsas de pesquisa, extensão e formação de professores. Vamos juntos contra os cortes, a precarização e sucateamentos de nossas universidades!

Please reload

Please reload