• Jomiel Araújo Machado - estudante secundarista do

Um diálogo com os/as estudantes secundaristas do RS - Sou estudante e tenho lado, o lado do/a trab


Na luta por acabar com este sistema explorador, é tarefa da juventude (e do movimento RUA) apoiar estes explorados, que nada mais são do que os/as trabalhadores/trabalhadoras. A classe que move a economia é vista apenas como números e mão de obra barata, e dessa forma população trabalhadora é constantemente colocada em condições sub-humanas nos seus locais de trabalho.

Nós, estudantes secundaristas, vemos diariamente esse tipo de exploração em busca do capital, como, por exemplo, com nossos pais, familiares ou qualquer outro/a trabalhador/a conhecido/a. Os trabalhadores/as de nossas casas, trabalhando oito, dez ou até doze horas por dia, perdem sua vida familiar, social e qualquer forma de lazer. E mesmo assim, quantos trabalhadores que conhecemos fazem parte da pequena parcela de “ricaços” dona de milhões? Mesmo com todo esse esforço, os/as trabalhadores/as, em geral, conseguem no máximo uma leve melhora nas condições de vida, já que o sistema que vivemos se empenha cruelmente em enriquecer cada vez mais a elite, os donos de grandes fortunas. A população trabalhadora sofre inúmeras retaliações dos seus direitos e é a que mais está longe de conquistar a tão desejada estabilidade financeira, principalmente em tempos de crise.

Um grande exemplo de retaliações e de retrocesso em relação aos seus direitos é a atual situação dos professores do estado do Rio Grande do Sul. Além das péssimas condições de trabalho, falta de materiais básicos para as salas de aula, o estado precário de algumas escolas, e as jornadas estressantes que ultrapassam quarenta horas semanais, os nossos professores, que já recebem pouco, estão recebendo os seus salários parcelados em até quatro vezes! Todos esses absurdos se somam ao aumento dos impostos e são colocados sob a justificativa de arrecadação para realizar o pagamento da obscura dívida do estado. Enquanto isso, por outro lado, o governo Sartori (PMDB) não revisa os juros abusivos; aumenta o próprio salário, junto ao vice-governador,secretários, deputados estaduais, Ministério Público, Judiciário e Defensoria Pública; além é claro dos milhões de reais em impostos sonegados por empresas e a grande mídia. Estudante tem lado, o lado dos professores que indignados que fizeram greve e manifestação em frente a Assembleia Legislativa reivindicando seus direitos e foram respondidos com cacetetes e spray de pimenta pela Polícia Militar/Tropa de Choque.

Essa é a triste realidade dos/das trabalhadores/trabalhadoras, e apenas somando forças que conseguiremos mudar, garantindo mais direitos para todos/todas, lutando contra as opressões e abusos. O RUA tem isso como meta, e ela vai ficar aberta SIM, pois a possibilidade de trabalhar e estudar com condições dignas é apenas o começo! Todo apoio à luta dos/das professores/as!

#MovimentoEstudantil #secundaristas #RS

0 visualização
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube

 

 


 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons by-sa 3.0. Rua_Juventude Anticapitalista, exceto quando proveniente de outras fontes ou onde especificado o contrário.